top of page
  • Foto do escritorFauusp Jr.

entrevista com ingrid alves

Atualizado: 10 de dez. de 2021

Ingrid é designer, formada em 2012, já passou por diversas áreas do design e diversos cursos. Ela conta como foi essa experiência e suas dificuldades durante seu percurso.




O que faz atualmente?


Sou designer na Eagle's Flight, o formato atual que eu trabalho é uma equipe diversificada e o trabalho em equipe é maravilhoso. Temos vários programas para desenvolver pessoas usando atividades lúdicas e experiências, de modo que eu faço todo tipo de necessidade visual, como diagramação, layouts, templates e etc.



Como escolheu esse ramo?


A aula de artes sempre foi a minha favorita e aos poucos fui entendendo que deveria trabalhar em uma área criativa. Durante o ensino médio, imaginei que a Arquitetura seria minha escolha, mas, ainda na dúvida, olhava outros cursos mais próximos do design. Entrei no curso de Design na Universidade Presbiteriana Mackenzie através do ProUni como segunda opção, mas gostei do design já nas primeiras duas semanas de curso e escolhi continuar.



Como foi sua trajetória da faculdade até hoje?


Entre 2012, quando sai da faculdade, fiz cursos de calçado, técnico de móveis e 1 ano de tecnólogo em marketing na Anhembi.

Meu primeiro estágio de produto foi na área de móveis corporativos. Trabalhava com Autocad, plantas (o mais próximo de arquitetura que já cheguei), layout e especificação de móveis especiais. Nessa área fiquei por 4 anos, mas comecei a ver o fechamento de muitas empresas do ramo, inclusive as que trabalhei (Stato e Probjeto), abrindo meus olhos pras outras áreas.

Foi então quando decidi optar pelo design gráfico, através da agência de uma amiga. Como não tinha muita experiência com as ferramentas e nem com a rotina do trabalho, fui ser Assistente de arte na Z1 propaganda. Foi lá que aprendi muito do que sei sobre design gráfico em newsletter, anúncios e em divulgação de material didático.

Após a agência surgiu uma oportunidade de trabalhar com mobiliário na área de projetos sob medida, famoso planejado. A parte boa era ser uma empresa de fabricação própria e não tinha a limitação da produção de medida padrão. Pela primeira vez trabalhei para o público B2C, atendendo necessidades pessoais e não de outra empresa.


Você trabalhou em áreas diferentes do design. Qual a principal dificuldade que encontrou nas áreas que trabalhou?


A área de produto (produto físico, não ux/ui) não tem muita abertura, o caminho mais comum é o de móveis, até porque é uma necessidade de todos em algum momento da vida e possui um mercado mais amplo.

Já na área gráfica tem algumas dificuldades na questão da cultura. É comum ter jornada de trabalho além das 8 horas, mais comum ainda ser tudo pra ontem e ainda muitas vagas no formato PJ (pessoa jurídica). No geral, a qualidade de vida trabalhando em agências não é muito saudável, em contraponto, é super dinâmico e criativo.



Qual dica você dá pra quem pensa em seguir na área?


É fundamental gostar de criação, arte e comunicação, também estudar, buscar desenvolvimento e saber se adaptar, porque as coisas nessa área mudam muito rápido.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page